Governo Biden se apoia na Tesla para orientar reforma na política de combustíveis

Logo do bot da Reuters

Reuters

Publicado 23/jun3 min de leitura

Por Jarrett Renshaw e Stephanie Kelly


FILADÉLFIA/NOVA YORK, Estados Unidos (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, raramente menciona a Tesla em público. Mas, seu governo se apoiou na empresa para ajudar a elaborar uma nova política para permitir que veículos elétricos se beneficiem de subsídios a combustíveis renováveis, segundo e-mails analisados ​​pela Reuters.


O governo quer expandir o escopo do Padrão de Combustível Renovável dos Estados Unidos (RFS) para torná-lo uma ferramenta para eletrificar a frota de automóveis do país e é uma das prioridades de Biden na luta contra as mudanças climáticas.


O movimento mostra que, apesar da disputa pública entre Biden e o fundador da Tesla, Elon Musk, o governo tem tentado envolver a montadora numa de suas principais pautas políticos. Biden estabeleceu uma meta de fazer com que metade dos veículos novos vendidos em 2030 tenham emissão zero.


Espera-se que a Agência de Proteção Ambiental que administra o RFS revele propostas de mudanças na política ainda este ano, em um mercado multibilionário de créditos que apoiou produtores de milho e de biocombustíveis por mais de uma década.


Os primeiros sinais são de que o governo está se inclinando para uma regra que beneficia montadoras como a Tesla. Mas a reforma também pode estender o subsídio a indústrias como as de recarga de carros e aterros sanitários, que fornecem biogás renovável para usinas de energia, segundo especialistas.


A Casa Branca não respondeu aos pedidos de comentários. A EPA disse que está consultando "as partes interessadas" em sua revisão de política de RFS.


O RFS atual exige que refinarias de petróleo misturem etanol e outros biocombustíveis no pool de combustível ou comprem créditos daqueles que o fazem. Isso irritou ambientalistas que dizem que a produção extra de milho danifica a terra e a água, enquanto prolonga a era do motor de combustão interna.


Na posse de Biden em janeiro de 2021, o funcionário da EPA, Dallas Burkholder, enviou um e-mail a um dos principais lobistas da Tesla, Rohan Patel, para discutir como incorporar carros elétricos ao RFS, segundo os documentos.


Desde então, a EPA teve reuniões adicionais sobre o assunto com a Tesla, grupos representando produtores de biogás como Waste Management e Republic Services e empresas de estações de carregamento como ChargePoint <CHPT.N >.


A lei bipartidária de infraestrutura aprovada em 2021 prevê 7,5 bilhões de dólares para ovas estações de carregamento de veículos elétricos e Biden procurou incluir créditos fiscais vencidos para ajudar os consumidores a pagar por novos veículos.


A Tesla quer mudanças no RFS que lhe permitam ganhar créditos de combustível renovável com base em quilowatts-hora ou métricas semelhantes, segundo fontes a par do plano. A empresa também busca parcerias com produtores de biogás para aproveitar eventuais oportunidades com a nova regra, dizem as fontes.


A Tesla não respondeu a pedidos de comentários.

Logo do bot da Reuters

Reuters

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.