Clubes de assinatura: dá para investir nesse negócio?

Letícia Almeida

Publicado 28/set4 min de leitura

Resumo

Especialistas afirmam que o mercado está em expansão e não falta espaço para quem quer começar no ramo

Os clubes de assinatura invadiram o mercado e sobram opções diversas e inusitadas de boxes que conquistam o público e mostram que dá pra vender de tudo pela modalidade. Para provar, já preparamos uma lista com clubes diferentões que vão de comida a produtos sensuais e discos de vinil.

Se você acompanhou a listagem e ficou se perguntando como não pensou em soluções como essas antes, saiba que o segmento está em expansão e, segundo os especialistas, o que não falta é espaço para quem quer começar.

"O que o empreendedor precisa é focar no hábito do consumidor: entender se essa é uma compra recorrente e que tipo de exclusividade ou de benefício pode trazer para o cliente com aquele produto", sugere a consultora de marketing do Sebrae Minas, Fernanda Fontes.

"Se o empreendedor já tem um hobby, já conhece sobre algum mercado e vê uma oportunidade de criar um clube, ele tem um gancho para começar um negócio. Mas se você não conhece sobre algum mercado, o caminho é fazer pesquisa, encontrar um nicho para tentar ser pioneiro, fazer testes e ir ajeitando a ideia", aconselha Luan Gabellini, sócio fundador da Betalabs, empresa de tecnologia especializada em soluções para o setor de e-commerce.

A sugestão dos especialistas para iniciar no ramo é partir da definição do público-alvo. Com o público definido, o próximo passo é formatar a ideia do clube e investir na execução e na divulgação para captar os primeiros assinantes. Feito isso, é preciso acompanhar as jornadas dos usuários e aperfeiçoar o serviço.

O caminho, de acordo com Fernanda, é atentar-se a todos os pontos de contato com o consumidor para otimizar as entregas e até adaptar os planos, criando oportunidades para oferecer pacotes diferentes para pessoas diferentes.

Para assegurar a fidelização do público e garantir o retorno do negócio mês a mês, a dica de quem já empreende é entregar sempre com a mesma qualidade. "No mercado de assinaturas você precisa ser bom todos os meses, porque é sobre recorrência", destaca Leonardo Araújo, criador do Site do Ovo, primeiro clube focado na venda de ovos por assinatura no mundo


Citação
O que faz o assinante permanecer é a experiência que ele tem, e ela precisa ser 100% o tempo todo
Leonardo Araújo, criador do Site do Ovo

Os números provam que Leonardo sabe o que diz: a taxa de permanência de sócios no clube beira os 96%, segundo o próprio fundador. A primeira assinante, Dona Maria Eugênia, segue com eles até hoje e, há quase quatro anos, recebe toda semana 30 ovos brancos e 30 ovos de codorna na porta de casa, em Salvador.

O próximo passo do Site é conquistar mais Marias Eugênias para além das fronteiras do país. O negócio está expandido para o México e, em breve, vai contar com a primeira franquia internacional. Até chegar aqui, o caminho foi longo, relembra Leonardo, mas o segredo para dar o pontapé é não perder tempo.

"Uma ideia maravilhosa não vale nada se você não for lá e fizer. Eu tive a ideia e fui lá e fiz, sem perder tempo. A capacidade de executar é a coisa mais importante para qualquer negócio", ressalta o empreendedor.

Letícia Almeida

Repórter


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.