Petróleo fecha em alta, impulsionado por guerra na Ucrânia e dólar fraco

Estadão Conteúdo

Publicado 13/abr2 min de leitura
Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta quarta, 13, em mais uma sessão na qual a continuidade das tensões na guerra da Ucrânia impulsiona a commodity, uma vez que há temores pela produção e maiores sanções à Rússia. Além disso, o enfraquecimento do dólar, moeda na qual o barril é cotado, estimula investidores, em um dia no qual a flexibilização de lockdowns na China também é observada.

O petróleo WTI para maio fechou alta de 3,63% (US$ 3,65), a US$ 104,25 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), enquanto o Brent para junho subiu 3,96% (US$ 4,14), a US$ 108,78 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, diminuiu as esperanças de que a guerra na Ucrânia possa terminar em breve, descrevendo as negociações de paz como um beco sem saída, aponta o Commerzbank. "Isso significa que um embargo de petróleo da União Europeia contra a Rússia ainda é uma possibilidade, mesmo que ainda não tenha sido encontrada maioria para apoiá-lo", avalia. Hoje, Putin afirmou que pode redirecionar facilmente as exportações de seus recursos energéticos do Ocidente para países que realmente precisam deles, enquanto aumenta o consumo doméstico de petróleo, gás e carvão.

A decisão dos EUA e de aliados de liberarem reservas estratégicas deverá ajudar a contrabalançar a queda na oferta da Rússia, e deve aliviar a crise de energia que impulsionou os preços da commodity, segundo a da Agência Internacional de Energia (AIE). A agência estima que a guerra poderá fazer com que 3 milhões de barris por dia (bpd) da Rússia deixem os mercados globais até maio. Levando o acirramento das tensões em conta, o TD Securities projeta o WTI em US$ 108 no terceiro trimestre deste ano.

A AIE cortou sua projeção de demanda global por petróleo em 2022, em 260 mil bpd, em função de lockdowns decretados na China para combater surtos de covid-19. A AIE também reduziu sua previsão para a oferta global deste ano, em 200 mil bpd, a 99,3 milhões de bpd. Já hoje, o TD Securities aponta que investidores têm esperança de que a demanda da China comece a se recuperar após a redução recente dos bloqueio.

Ainda hoje, os estoques de petróleo nos EUA subiram 9,382 milhões de barris, a 421,753 milhões, informou o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês). Analistas ouvidos pelo The Wall Street Journal previam avanço bem mais modesto, de 400 mil.

Estadão Conteúdo

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.