Ouro fecha em alta, apoiado por dólar fraco após decisões de Fed, BCE e BoE

Estadão Conteúdo

Publicado 16/dez1 min de leitura
O ouro encerrou em forte alta na sessão desta quinta-feira, 16, após a decisão monetária do Federal Reserve (Fed) ontem enfraquecer o dólar ante pares, em movimento que foi acentuado hoje após as decisões no Reino Unido e zona do euro. A fraqueza do dólar tende a beneficiar commodities cotadas na divisa americana, já que elas ficam mais baratas e, desta forma, mais atraentes a operadores que negociam com outras moedas.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro avançou 1,91%, a US$ 1.798,20 por onça-troy.

Ontem, a mudança de tom para uma postura mais hawkish do Fed inspirou uma corrida para ativos de risco nos mercados financeiros, que prejudicou o dólar em confronto com moedas rivais como o euro e a libra. Hoje, o movimento se estendeu, especialmente após decisões monetários do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) e Banco Central Europeu (BCE), estendendo o apoio ao ouro.

De acordo com o Julius Baer, as alterações nas políticas monetárias de BCs de países desenvolvidos seguirá provocando volatilidade nos contratos de metais preciosos em 2022, sem um movimento claro. "De um ponto de vista fundamental, acreditamos que os preços devem se mover para baixo em vez de para cima e que qualquer recuperação não apoiada de demanda por ativos seguros deve encontrar resistência, enquanto o crescimento global permanecer em modo de recuperação", comenta o banco suíço em relatório.

Estadão Conteúdo

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.