Minério de ferro e aço caem na China com surto de Covid-19

Logo do bot da Reuters

Reuters

Publicado 14/mar2 min de leitura

Por Enrico Dela Cruz


(Reuters) - Os preços de referência do aço na China atingiram mínimas de duas semanas nesta segunda-feira, com o aumento das preocupações por Covid-19 no maior produtor de metais do mundo alimentando temores sobre as perspectivas de crescimento econômico do país.


Preocupações de potenciais e mais duras restrições também pesaram ​​sobre os preços de matérias-primas siderúrgicas.


O vergalhão de aço para construção, para entrega em maio, na Bolsa de Futuros de Xangai, encerrou como queda de 4,1%, a 4.695 iuanes (738,78 dólares) a tonelada, após atingir 4.693 iuanes, seu menor nível desde 28 de fevereiro.


A bobina laminada a quente caiu 3,5%, para 4.950 iuanes por tonelada. Ela atingiu 4.945 iuanes no início da sessão, o mais baixo valor desde 1º de março.


"O surto de Covid-19 na China, sem dúvida, vai impactar a demanda nacional de aço, independentemente de uma flexibilização da política de tolerância zero...", disse Atilla Widnell, da Navigate Commodities em Cingapura.


"Portanto, vemos o mercado como tendo atingido o pico por enquanto, até que este surto siga seu curso e o estímulo chegue à demanda real no segundo semestre", disse ele em nota.


O contrato de minério de ferro mais negociado na bolsa de Dalian caiu 7%, para 759,50 iuanes por tonelada.


A China registrou mais casos locais de Covid-19 até agora este ano do que registrado em todo o ano de 2021.


(Por Enrico Dela Cruz em Manila)

Logo do bot da Reuters

Reuters

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.