Mercado de trabalho do Reino Unido envia sinal de alerta a BC britânico

Logo do bot da Reuters

Reuters

Publicado 15/fev2 min de leitura

Por William Schomberg e David Milliken


LONDRES (Reuters) - O mercado de trabalho do Reino Unido está enviando alguns sinais de alerta para um banco central na defensiva contra uma espiral de inflação salarial, disseram economistas nesta terça-feira, depois que dados oficiais mostraram retração da força de trabalho e vagas em níveis recordes.


O crescimento do salário anual no último trimestre de 2021 acelerou para 4,3%, ante 4,2% nos três meses até novembro, refletindo maiores bônus de Natal do que há um ano.


O aumento ficou acima de todas as previsões em uma pesquisa da Reuters com economistas e da previsão do Banco da Inglaterra.


O Comitê de Política Monetária do banco central britânico disse em 3 de fevereiro que espera apertar a política monetária novamente logo após elevar os juros pela segunda vez em dois meses para conter as crescentes pressões inflacionárias.


"A aceleração do crescimento salarial em dezembro manterá a pressão sobre o comitê para elevar a taxa básica (de juros) novamente na reunião do próximo mês", disse Samuel Tombs, economista da Pantheon Macroeconomics, em nota a clientes.


James Smith, do ING, disse que o crescimento salarial parece ter se estabilizado em seus patamares pré-pandemia, consistentes com um mercado de trabalho apertado.


"No entanto, ainda duvidamos que o Reino Unido esteja caminhando para uma espiral de preços salariais que justifique os seis aumentos de juros que os mercados agora esperam do Banco a Inglaterra neste ano", disse Smith.


(Reportagem de William Schomberg e David Milliken)

Logo do bot da Reuters

Reuters

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.