Guinada de política monetária do Fed segue nos trilhos apesar de incerteza sobre Ucrânia, diz Powell

Logo do bot da Reuters

Reuters

Publicado 02/mar2 min de leitura

Por Howard Schneider e Lindsay Dunsmuir


WASHINGTON (Reuters) - O Federal Reserve vai avançar com planos de aumentar os juros neste mês para tentar domar a inflação elevada, mas a eclosão da guerra na Ucrânia tornou as perspectivas "altamente incertas" para as autoridades do banco central dos Estados Unidos conforme elas planejam seus próximos passos, disse o chair do Fed, Jerome Powell, nesta quarta-feira.


Em comentários preparados para depoimento ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos EUA, Powell reiterou a narrativa central do Fed de que a inflação alta e o mercado de trabalho "extremamente apertado" justificam juros mais altos.


"Esperamos que seja apropriado aumentar a faixa-alvo para a taxa de juros em nossa reunião deste mês", disse Powell, acrescentando que o Fed deve promover na sequência, ainda este ano, reduções em sua carteira de títulos do governo, atualmente de cerca de 8,5 trilhões de dólares.


Mas, em sua declaração inicial a parlamentares, Powell não deu nenhuma pista sobre até onde ou com qual velocidade o Fed pode precisar conduzir seu aperto monetário. Ele disse que as autoridades ainda esperam que a inflação arrefeça neste ano e contextualizou o início e a conclusão de suas observações com os acontecimentos na Ucrânia.


A inflação "está agora bem acima do nosso objetivo de longo prazo de 2%. A demanda é forte, e gargalos e restrições de oferta estão limitando a rapidez com que a produção pode responder", disse o chair do Fed.


Ele acrescentou que essas interrupções no abastecimento foram "maiores e mais duradouras do que o previsto" e reafirmou a promessa do Fed de ser tão duro quanto necessário para trazer os preços de volta à meta.


Embora se espere que algumas das pressões inflacionárias atuais diminuam ainda neste ano, "estamos atentos aos riscos de uma possível pressão adicional de alta... Usaremos nossas ferramentas de política monetária conforme apropriado para evitar que a inflação mais alta se enraíze."


"Os efeitos de curto prazo na economia dos EUA da invasão da Ucrânia, a guerra em andamento, as sanções e os eventos futuros permanecem altamente incertos", disse Powell.


"Fazer uma política monetária apropriada neste ambiente requer o reconhecimento de que a economia evolui de maneiras inesperadas. Precisaremos ser ágeis na resposta aos próximos dados e à evolução das perspectivas."

Logo do bot da Reuters

Reuters

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.