Exterior e temor fiscal local geram cautela na B3

Estadão Conteúdo

Publicado 21/jan5 min de leitura
Após três pregões seguidos de alta, o Ibovespa pode encontrar na cautela externa espaço para realização de lucros. O mercado internacional segue monitorando a crise na Ucrânia e o investidor continua cauteloso à espera da decisão de política monetária dos Estados Unidos, na semana que vem. Somado a isso, fatores internos como debate sobre retirada de imposto sobre combustíveis e expectativa de entrega do Orçamento de 2022 também podem deixar o investidor da B3 na defensiva. .

Após abrir aos 109.096,87 pontos, o Ibovespa passou a cair, com a mínima diária marcando 108.367,73 pontos, com recuo de 0,67%. Em seguida, mudou de direção, subindo 0,20%, na máxima aos 109.325,40 pontos. Entretanto, o índice passou a operar com instabilidade, em dia de agenda de indicadores esvaziada e de vencimento de opções sobre ações. As ações prediletas em dias assim operam em direções opostas: Vale cedia ON 0,45% e Petrobras ON subia 0,12% às 11h18, enquanto PN tinha variação zero.

Nem mesmo o minério de ferro salva, após fechar com alta de 1,96%, no porto chinês de Qingdao, a US$ 137,36 a tonelada. Além disso, a China continua a adotar medidas para estimular sua economia. O Banco do Povo do país (PBoC, na sigla em inglês) cortou as taxas de empréstimos em linha de crédito permanente (SLFs) em 10 pontos-base a partir de 17 de janeiro, informa a Reuters. Já o petróleo recua cerca de 0,80% no exterior, podendo reforçar expectativa de queda das ações da Petrobras e do Ibovespa.

"Aqui, veio segurando bem alta de fora. Viemos de uma correção forte em meados de 2021, enquanto isso não aconteceu no externo, que agora passa por ajuste", avalia Samuel Cunha, economista e sócio da H3 Invest. Embora tenham "farpas políticas", considera que o quadro político interno está relativamente calmo e, lá fora, as expectativas de aperto monetário especialmente nos EUA estão surtindo efeito. "Quanto menos injeção, menos dinheiro circulando nos mercados, que reagem a isso", completa. Às 11h19, o Ibovespa subia 0,02%, aos 109.118,63 pontos, enquanto na europa as perdas até superavam 2% e 1%, no caso do índice futuro Nasdaq de Nova York.

Apesar da leve alta do Ibovespa, um ajuste não seria visto com desfavorável. Segundo Fábio Maahs, trader de renda variável da Delta Flow Investimentos, é natural uma correção, após duas semanas em que o Ibovespa subiu descolado de Nova York. Como explica, enquanto os Estados Unidos estão sentindo agora os efeitos da iminente alta dos juros por lá, no Brasil este processo começou há meses, com migração da renda variável para a fixa. "Agora, investidores veem oportunidades em emergentes, tanto que o fluxo de recursos estrangeiros no País segue toada forte", diz.

Ao mesmo tempo, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que o presidente Jair Bolsonaro diz negociar com o Congresso para reduzir preço dos combustíveis, da energia elétrica e do gás tende a reforçar cautela na Bolsa. Em pleno ano eleitoral, o projeto lançado por Bolsonaro, que pretende disputar a reeleição, de zerar os tributos sobre combustíveis, reduziria a arrecadação federal em cerca de R$ 50 bilhões, segundo um integrante da equipe econômica ouvido pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

"Só que para isso PEC é preciso uma contrapartida. Não sabemos qual será. O governo não tem dinheiro e a PEC faz com que ele abra mão de receitas, mas sem contrapartidas", questiona o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, em comentário a clientes e à imprensa.

Além de o investidor acompanhar o desenrolar do debate sobre a PEC dos combustíveis, ficará de olho no Orçamento 2022, que precisa ser concluído, dado que o prazo para assinatura expira hoje. Há incertezas sobre a decisão de Bolsonaro de conceder ou não aumento salarial apenas para os policiais neste ano e também sobre cortes das emendas parlamentares para cobrir o furo de R$ 9 bilhões na peça orçamentária.

"Como hoje é sexta-feira, o que acaba exigindo uma postura um pouco mais defensiva, pode ter espaço para realização, já que o Ibovespa subiu nos últimos dias", completa Laatus.

Na Europa, as bolsas caem, após o recuo da véspera em Nova York. Ao mesmo tempo, os índices futuros americanos cedem hoje, numa espécie de compasso de espera pela decisão do Federal Reserve (Fed) na semana que vem. Ainda que não se espere alta de juros este mês, estima-se que o Fed dê sinais de aumento em março e ainda em relação ao ritmo de retirada do programa de compras de títulos. "O mercado está sensível a isso", afirma o estrategista.

"Com o mercado à espera da primeira alta de juros por parte do Banco Central americano segue o movimento de rotação em direção a empresas de maior valor, em detrimento daquelas que prometem crescimento no futuro", observa em nota Rachel de Sá, chefe de economia da Rico. Nessa toada, acrescenta, os resultados piores do que o esperado do Netflix trouxeram um "balde de água fria para a empresa, que viu suas ações caindo 20% após o fechamento do mercado ontem. O motivo? A desaceleração do crescimento de assinantes."

No Brasil, as ações da Eletrobras devem ficar no centro das atenções hoje, após o anúncio da data de 22 de fevereiro para viabilização da desestatização da empresa. Às 11h22, subiam mais de 1,50%. Além disso, ficam no radar Banco do Brasil, que informou que o conselho de administração da instituição aprovou o payout de 40% para o exercício de 2022. BB tinha alta de 0,32%. Já a Lojas Renner aprovou a recompra de até 18 milhões de ações, ou 1,82% do total em circulação. Os papéis da empresa avançavam 1,32%.

Estadão Conteúdo

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.