Esplanada terá hoje protestos de Caetano Veloso e de servidores do Tesouro

Estadão Conteúdo

Publicado 09/mar2 min de leitura
A Esplanada dos Ministérios em Brasília volta a ser palco de protestos nesta quarta-feira (9). Além do ato encabeçado pelo cantor Caetano Veloso contra "retrocessos inaceitáveis em termos de proteção dos direitos socioambientais", o lugar foi escolhido pelos servidores da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e da Controladoria-Geral da União (CGU) para se manifestarem contra diferenças salariais para as categorias.

"Não aceitamos a discriminação salarial na recomposição prevista pelo governo para este ano", afirmou o presidente do Unacon Sindical, Bráulio Cerqueira, por meio de nota. O encontro dos manifestantes está previsto para as 10h com o objetivo de cobrar a abertura de uma negociação salarial.

A sinalização do governo de recomposição restrita a poucas carreiras de Estado pode provocar desalinhamento remuneratório inédito no Governo Federal em desfavor da carreira de Finanças e Controle, segundo a categoria. O Sindicato e os servidores advertem que isso compromete o "clima organizacional" na STN e na CGU, contribui para o esvaziamento de lideranças e promove a degradação estrutural de órgãos de excelência do serviço público.

A Unacon Sindical afirma que a remuneração dos servidores está congelada há mais de três anos e que o valor real dos salários dos auditores e técnicos federais de finanças e controle é o menor dos últimos 15 anos. "E com a aceleração em curso da inflação, as perdas acumuladas podem chegar a 40% ao fim de 2022", calcularam. Além da atividade em Brasília, o sindicato também sinaliza paralisação das atividades no período e prepara novos protestos.

Meio Ambiente

Já a manifestação dos artistas é contra projetos que tramitam no Congresso Nacional e que, de acordo com eles, são uma ameaça ao meio ambiente. O "pacote" é formado pelo PL 191, que trata do garimpo em terras indígenas; o PL 490, sobre o marco temporal para terras indígenas; o PL 2.159, que aborda o licenciamento ambiental; os PL 2.633 e 510, sobre grilagem de terras públicas; e o PL 6.299, que revoga a lei de agrotóxicos e que foi apelidado de "PL do Veneno".

O protesto está marcado para as 15h de hoje. Havia a expectativa de que, antes da manifestação, alguns artistas se encontrem com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e com a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmem Lúcia. A ideia seria entregar um documento às autoridades pedindo que as discussões no Congresso Nacional sejam feitas com base na ciência.

Estadão Conteúdo

Agências


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.