Uso de pix em compras on-line bate recorde em abril

Letícia Almeida

Publicado 21/jun2 min de leitura

Resumo

Participação do método de pagamento no e-commerce quintuplicou em relação a 2021

Prático, rápido e eficaz, o Pix já garantiu lugar como uma das formas de pagamento favorita dos brasileiros. Em março deste ano, o Banco Central informou que o método se tornou o mais usado no país, superando o cartão de débito e o de crédito. Já em abril, o Pix alcançou um novo recorde: uma pesquisa da Neotrust mostrou que o uso do pagamento eletrônico nas compras on-line foi o maior desde o seu lançamento.

O levantamento revelou que o número de pedidos pagos via Pix em abril atingiu 11,5% de participação. O resultado representa um aumento de quase cinco vezes em relação ao mesmo período do ano passado, quando esse recurso representava apenas 2,6% do total movimentado no e-commerce.

O crescimento da presença da ferramenta vem desde o primeiro trimestre do ano: em janeiro, ela alcançou 8,3% da participação de pedidos; em fevereiro foi de 8,8%; e em março fechou em 9,7%. Nos três primeiros meses de 2021, o índice foi de 1,7%, 2,5% e 3,4% para janeiro, fevereiro e março, respectivamente.

A relevância da ferramenta em volume transacionado também segue em alta no varejo digital. Em abril, o Pix representou 4% do faturamento total do e-commerce, o maior índice de 2022 e segundo maior da história, ficando somente atrás de dezembro de 2021, que apontou 4,2%, impulsionado pelas compras de Natal e fim de ano.

“O Pix vem avançando consideravelmente como um método de pagamento no comércio eletrônico, e atualmente já possui participação de mais de 10% nas compras digitais no país. Um dos fatores para sua rápida expansão deve-se à simplicidade, que substitui de maneira eficaz o boleto bancário, por exemplo. Outro ponto são as facilidades de que o consumidor dispõe, como o uso do Pix por cartão de crédito e de forma parcelada”, analisa a Head de Inteligência da Neotrust, Paulina Dias.

A ascensão do Pix como meio de pagamento no e-commerce já o fez "colar" no boleto, disputando o segundo lugar como método mais utilizado, de acordo com o Estudo de Pagamentos Gmattos divulgado em maio. Enquanto o boleto é aceito em 76,3% dos estabelecimentos virtuais, o Pix atingiu 74,6%, percentual que o boleto apresentava em janeiro de 2021. Já o crédito, líder do ranking, é aceito em 98,3% lojas on-line.

Letícia Almeida

Repórter


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.