Perdeu o saque extraordinário do FGTS? Trabalhadores terão nova oportunidade

Izabella Souza

Publicado 05/ago2 min de leitura

Resumo

Dinheiro que não foi movimentado começará a ser devolvido para as contas do Fundo de Garantia a partir deste sábado

Criado com uma medida do governo federal para movimentar a economia, o saque extraordinário do FGTS tem, aproximadamente, R$ 9,2 bilhões que não não foram movimentados e que voltarão para as contas vinculadas dos trabalhadores.

Todo esse valor foi creditado automaticamente nas contas digitais Caixa Tem, mas por não terem sido sacados nem transferidos, retornão às contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço a partir deste sábado (6).

Segundo a Caixa Econômica Federal, os valores retornarão com correção monetária. A lei 14.075/2020, que regula as poupanças sociais digitais, determina que, caso não haja nenhuma movimentação realizada pelos titulares em até 90 dias após o período de saque, o dinheiro deve voltar para as contas do FGTS corrigido.

Nova chance

Apesar de o dinheiro voltar para o FGTS, os trabalhadores que se esqueceram de sacar terão uma nova oportunidade. Até 15 de dezembro, eles poderão pedir o crédito novamente, com o dinheiro sendo transferido para o Caixa Tem em até 15 dias.

O pedido de saque pode ser feito pelo aplicativo FGTS, disponível para os telefones e dispositivos móveis dos sistemas Android e iOS. A consulta pelo site da Caixa foi desativada há alguns meses, restando apenas o aplicativo como meio de contato eletrônico.

Se o trabalhador fez alguma retirada do saque extraordinário, em qualquer quantia, o saldo restante permanece na conta do Caixa Tem. O dinheiro também não será devolvido à conta do FGTS nos casos em que o trabalhador solicitou o saque extraordinário no App FGTS, mesmo que não tenha feito o saque depois.

O que é o saque extraordinário?

Nos últimos anos, foram promovidas diversas rodadas de saques do FGTS. Em 2022, o governo liberou em torno de R$ 30,1 bilhões para cerca de 43,2 milhões de trabalhadores entre os dias 20 de abril e 15 de junho.

Cada trabalhador recebeu R$ 1 mil ou o total da conta, caso o saldo fosse menor que esse valor. A liberação ocorreu de forma escalonada, baseada no mês de nascimento de cada pessoa.

O dinheiro foi automaticamente depositado nas contas poupança digitais, criadas para o pagamento do auxílio emergencial em 2020 e depois usadas para o pagamento de benefícios sociais e de saques extraordinários do FGTS.

Izabella Souza

Repórter


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.