Confira dicas para economizar no home office

Izabella Souza

Publicado 13/mai5 min de leitura

Resumo

Especialistas explicam o impacto financeiro do trabalho remoto para trabalhadores e alternativas que ajudam a reduzir custos em casa

Com a pandemia, o home office virou realidade para muitas empresas. Mas enquanto o trabalho remoto trouxe efeitos financeiros positivos para as instituições, quem trabalha em casa sentiu um impacto no orçamento, principalmente em tempos de inflação galopante.

“Os trabalhadores sentiram no bolso a adesão ao home office com custos de energia e alimentação. Alguns precisaram aumentar a velocidade da internet, o que encareceu o plano que já tinham”, lembra Bruna Allemann, educadora financeira da Acordo Certo, fintech de renegociação de dívidas. “Por outro lado, foi possível economizar nos gastos com deslocamento diário, seja em transporte privado ou coletivo. O grande desafio é saber equilibrar as contas”, pondera.

Entre prós e contras, o home office é um desejo profissional de 82% dos brasileiros, apontou uma pesquisa realizada em maio deste ano pelo Empregos.com.br, um dos maiores portais de recrutamento e seleção do Brasil. Além disso, mesmo com os gastos com energia elétrica e alimentação, 58% dos brasileiros economizaram mais com o trabalho remoto.

E com um pouco de planejamento, é possível reduzir ainda mais os custos. Confira algumas dicas:

Prepare suas refeições

O delivery pode ser um problema. Se você não se organizar, vai ter de pedir comida e acabar gastando muito mais com a alimentação. É importante separar um tempo pra fazer compras, preparar e congelar os alimentos. Para isso, a dica é montar o cardápio da semana. Assim, fica mais fácil calcular a quantidade de produtos que você precisa comprar no mercado e ainda evita que alimentos sejam desperdiçados.

Desligue as tomadas

Para economizar energia, procure não deixar o computador, televisão e outros equipamentos eletrônicos ligados o tempo todo na tomada, sem necessidade. A mera luzinha de stand-by é suficiente para consumir energia. Portanto, se o aparelho não estiver em uso, desligue-o da tomada.

Aproveite a iluminação natural

Abra as janelas e cortinas e aproveite a luz do dia! Além de deixar o ambiente mais fresco e diminuir o consumo de energia, a iluminação natural pode até te dar mais energia e criatividade. E quando isso não for possível, use lâmpadas econômicas como as de LED. Por mais que elas sejam mais caras que as comuns, o retorno do investimento vem na conta mensal.

Reutilize itens

Ter um espaço adequado para trabalhar é fundamental. Mas você não precisa comprar tudo novo para montar o seu escritório. É possível reutilizar móveis e elementos decorativos que você já tenha em casa, desde que o local conte com boa iluminação e facilite a sua concentração.

Repense os gastos

Sabe aquelas despesas que não existem mais, como deslocamento, gasolina e estacionamento? Aproveite e economize esses valores! A falsa sensação de ter dinheiro sobrando pode te levar a gastar mais com itens desnecessários. Ao invés disso, use esse dinheiro para criar uma reserva de segurança ou começar um investimento, por exemplo.

Prefira o ventilador

Nos dias mais quentes, tente se refrescar com o ventilador antes de ligar de ar-condicionado. O aparelho pode consumir até 80% a menos em potência (watts) do que um ar de 7.500 BTUs ou 2.197 watts. Quando for usar o ar-condicionado, ligue em apenas um cômodo da casa e lembre-se de manter o filtro sempre limpo. Isso evita que o temporizador seja acionado várias vezes para manter a temperatura.

Evite "gambiarras" elétricas

Avalie se as ligações dos eletrodomésticos estão corretas e se o fio não está derretendo. Se um fio está esquentando, ele consome energia. Além disso, não ligue 2, 3 ou 4 aparelhos no mesmo adaptador e na mesma tomada. Isso também produz efeito joule (quando a energia elétrica se transforma em energia térmica, ou seja, calor), consome mais energia e ainda aumenta a possibilidade de incêndios.

Vai comprar um equipamento novo?

Dê preferência por aparelhos certificados Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) - aqueles que possuem a categorização por letras. Os selos com classificação "A" são considerados mais eficientes e econômicos, ajudando o meio-ambiente e o seu bolso.

Ajuda de custo

Para Leonardo Casartelli, diretor de marketing do Empregos.com.br, esse novo modelo de trabalho requer também novos planos de benefícios das empresas, sendo a adoção do auxílio home office uma alternativa para manter e engajar colaboradores.

“Embora não haja uma norma que direcione quais os reembolsos que a empresa deve fazer ao funcionário em trabalho remoto, a companhia deve prever ajustes estruturais para quem vai trabalhar de casa. Este benefício vem para custear parte dos gastos que os colaboradores possuem com luz, água, internet, telefone e compras de equipamentos que possam ajudar nas atividades laborais”, afirma.

A ajuda de custo já é, inclusive, o segundo benefício mais atraente para os trabalhadores brasileiros. O mesmo levantamento do portal de empregos revelou que o auxílio home office é visto como prioridade para 39,8% das pessoas, atrás apenas da bonificação e participação nos lucros, com 66,3% da preferência. “Quando a empresa fornece o auxílio home office, ela dá a oportunidade do colaborador ter uma infraestrutura próxima a do escritório da empresa”, complementa.

Izabella Souza

Repórter


Compartilhe essa notícia


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.