Home office: 51% querem trabalhar de casa para evitar trânsito

Lucas Eduardo Soares

Publicado 17/mai3 min de leitura

Resumo

Levantamento feito pelo Opinion Box levou em conta respostas de trabalhadores de todas as regiões do Brasil. Outros indicadores de trabalho foram apresentados

Entre os brasileiros que trabalham de maneira remota, mais da metade respondeu que prefere o home office pois, assim, evitam perder tempo no trânsito ou no transporte. É o que mostra uma pesquisa realizada pela Opinion Box, empresa de tecnologia e referência em pesquisa, divulgada na última semana. Segundo o levantamento, 51% dos entrevistados apontaram que as horas gastas na ida e na volta do escritório são cruciais pela predileção ao teletrabalho.

Afinal de contas, tudo mudou desde que a pandemia obrigou empresas de todo mundo a testar novas formas de se trabalhar. O trabalho remoto, por exemplo, foi adotado por muitas delas, e mesmo com a vacinação e os dados de casos e mortes por Covid-19 caindo, há aqueles trabalhadores que já aprenderam como fazer suas entregas sem sair de casa.

Para se ter ideia, 48% dos entrevistados para a pesquisa acreditam que o trabalho será predominantemente remoto no futuro, enquanto 29% creem que a empresa onde trabalham não está pronta para esse momento. Confira abaixo alguns números observados pela Opinion Box.

Além do translado de ida e volta do trabalho, 32% daqueles que elegem o home office como principal modelo disseram que a produtividade em casa é maior, 28% relataram que sobra mais tempo para outros projetos, enquanto 27% querem passar mais tempo com a família e 25% relataram que a atividade desenvolvida no lar faz bem para a sua saúde mental.

Porém, há aqueles também que, no presencial, se dão melhor. De acordo com os números apresentados pela Opinion Box, 27% acreditam que a produtividade é maior, 26% afirmam que a comunicação é mais fácil e 25% gostam de interagir socialmente com os colegas de equipe.

Uma terceira via do modelo de trabalho é o híbrido. Ou seja, quando há uma mescla entre o presencial e o teletrabalho. A empresa de tecnologia e referência em pesquisa observou, inclusive, que 35% dos entrevistados disseram que não existe um número definido de dias em cada local de trabalho. Em seguida, com 22%, são aqueles que trabalham três dias no escritório e dois de maneira remota.

Satisfação com o trabalho (para além do salário)

A pesquisa mediu como os brasileiros entrevistados se sentem satisfeitos em relação aos locais onde trabalham – ou o que levariam em conta. A maior parte (42%) respondeu que o salário e a remuneração pesam nesse quesito. Porém, outros indicadores chamam a atenção. Por exemplo: horário flexível é avaliado por 32% dos entrevistados; autonomia para exercer a função por 27% e possibilidade de crescer na carreira por 21%. Política de benefícios (vale alimentação, transporte e plano de saúde) são importantes para 17%.

Inclusive, o plano de saúde é o mais valorizado por profissionais no Brasil. Ele é lembrado por 42% daqueles que responderam aos questionamentos da Opinion Box. Depois, com 32%, os vales alimentação e refeição. No fim das contas, 76%, segundo o levantamento, concordam que a satisfação vai muito além do salário.


Esse conteúdo foi útil?

Siga o Inset

Conheça o Inter

De banco digital para plataforma de serviços integrados: o Inter se reinventou e cria o que simplifica a vida das pessoas.